1780

Mirangaba

Pular para o conteúdo
Última atualização:
|
Prefeitura Municipal de
Mirangaba



Visão Geral


Visão Geral

Bandeira Bandeira do Município
Brasão Brasão do Município
  • Aniversário: 24 de novembro
  • Fundação: 24 de novembro de 1961
  • Padroeiro (a):Santa Luzia
  • Gentílio:Mirangabense
  • Cep: 44745-000
  • População: 18195 (estimativa)
  • Prefeito (a): (PSD)
    2021 - 2024

Cultura

As principais manifestações culturais do município são: o Samba-de-roda oriundo da comunidade quilombola da região de Coqueiro, também presente na Festa de Santa Luzia ocorrida na Sede do município, e o Bumba-meu-boi apresentado na comunidade de Nuguaçu. Por ocasião do aniversário da cidade, no dia 24 de novembro, realiza-se na sede do município a Feira da Cidadania. O São João também faz parte do calendário cultural do município, a qual desperta na população o espírito de igualdade, onde todos se divertem no período mais esperado do ano.
Dentre os eventos esportivos, destacam-se os campeonatos regionais e copa intermunicipal de futebol, campeonato society, jogos estudantis, corrida rústica e cavalgada.

Festas tradicionais da região

São João - Realizada nos dias 22, 23 e 24 de Junho, com apresentações musicais, quadrilhas, quebra pote, corrida de saco, pau de sebo, sanfoneiros regionais etc.
Santa Luzia - Realizada no dia 13 de Dezembro
Obs: Estas festas são realizadas na sede do município e ambos os santos são considerados os padroeiros da cidade.
Santo Antônio – Realizada no Distrito de Nuguaçu, comemorada em 13 de Junho.
Nossa Senhora da Conceição - Realizada no Distrito de Paulo Souto (Canabrava), comemorada em 02 de Maio.
São Miguel Arcanjo - Padroeiro do Distrito de Taquarendí, comemorada em 29 de Setembro.

Geografia

Segundo o IBGE, o município de Mirangaba, está inserido no polígono da seca e no semi-árido baiano, a 365 km da capital. O acesso rodoviário para o município é feito através da BR-324 até Jacobina e, daí, pela BA-000, que se apresentam em estado regular de conservação. Os meios de transporte utilizados são através das empresas: Bonfinense, Canarinho e Cidade de Jacobina e São Luiz (Mirangaba-Salvador) aos domingos.

A cidade tem um PIB de R$ 37.307,00 e uma renda per capita de R$ 2.662,00. Possui 17.474 habitantes, uma área de 1.960,3 Km² e altitude de 829 m. Administrativamente e geograficamente, situa-se na região de Jacobina; economicamente, na região do Piemonte da Diamantina; e na região de planejamento de Irecê. Faz fronteira com os municípios de:

Antonio Gonçalves;
Campo Formoso;
Jacobina - devido a sua localização, é centro que exerce maior influência sobre o município em termos de oferta de serviços, principalmente para o atendimento médico-hospitalar da população. Grande parte dos profissionais de educação e saúde se desloca diariamente de Jacobina para trabalhar na cidade;
Ourolândia;
Pindobaçu;
Saúde;
Umburanas;
Caem;
Várzea Nova.
Possui três distritos: Nuguaçu, Taquarendi, Paulo Souto (Canabrava). Apesar da grande dimensão territorial do município, a população rural tende a se concentrar em núcleos. Cerca de 27,5% dos domicílios encontram-se nos três distritos mencionados. Há grandes áreas sem domicílios e muitas vezes, quando os tem, são domicílios de uso ocasional, ou seja, casas construídas para servir de apoio, guardar os instrumentos de trabalho e produção.

O relevo é constituído pelas baixadas dos rios Jacaré e Salitre, pelas Chapadas de Morro do Chapéu, as Serras de Jacobina e pelos Blocos Planálticos Setentrionais. A geologia é formada por argilitos, depósitos eluvionares e coluvionares, silititos, arenitos, ortoquartiziticos e calcário. Existe a ocorrência mineral de calcário, esmeralda, manganês, ouro, quartzo.

Faz parte da Bacia Hidrográfica do Rio Itapicuru, e os principais córregos d’água são: Riacho Campo do Meio, Riacho Jacomoa/Sambauba e Rio Itapicuru-Açu, Riacho e Lagoa. Com clima semi-árido, tem uma temperatura que varia de 27,23º a 17,03º, com média de 927 mm.

Distância Da Sede Para Outras Localidades (Km)

Trincheira - 63

Santa Cruz -11

Barra - 43

Lagoa de Canabrava - 65

Paranazinho - 18

Mangabeira - 18

Mandacaru - 17

Volta da Serra - 20

Campo Grande - 03

Ponto Alegre – 18

Queimada Grande – 25

Laje das Cruzes - 36

Jatobá - 36

Angico - 42

Sussuarana - 72

Pedra Vermelha - 80

Marruaz - 72

Carreirro – 72

Cortado - 72

Olho Torto - 72

Fazenda Caboré - 12

Água Branca – 06

Góis - 06

População

As informações sobre a população possuem origem no Censo 2010. Esta página possui informações sobre a população de Mirangaba, além de informar sobre a composição entre homens x mulheres, faixa etária da população, indíce de envelhecimento e a quantidade de domicílios.

Em Mirangaba, existem mais homens do que mulheres. Sendo a população composta de 49.78% de mulheres e 50.22% de homens.

Dados tabulados sobre a População de Mirangaba (todos Os Setores) DE 2010
Domicílios Particulares Permanentes 6.018
População Residente 16.279
População Homens 8.176
População Mulheres 8.103
Razão de Dependência Jovens 45.4%
Razão de Dependência Idosos 12.2%
Razão de Dependência Total 57.7%
Índice de Envelhecimento 26.9%
Razão de Masculino x Feminino 100.9%
Razão Crianças-Mulheres 33.8%
Média de moradores por Domicílios 3.5
Proporção de domicílios ocupados 77.6%
Proporção de domicílios não ocupados 22.4%

A população do município ainda é predominantemente rural, apesar do acelerado crescimento urbano, portanto predominando a agropecuária como eixo da economia. Predomina entre os produtores a atividade mista: agricultura e pecuária de reduzido número de animais, devido ao tipo de estrutura fundiária.

A produção agrícola tem como principais produtos a banana, mandioca, sisal, tomate, cenoura, feijão, melancia, cebola, manga, alho, pimenta e outros.

Na pecuária existe predomínio da criação de bovino. A caprino-ovinocultura é uma atividade em expansão, principalmente, entre pequenos e médios proprietários. Os suínos são por sua vez, criações de quintal. O rebanho eqüino e muar ainda é significativo, mas sua tendência é a diminuição e se constitui em animais de trabalho.

Surge agora um grande potencial econômico no município, onde empresas do setor de energia eólica estão implantando uns dos maiores parques eólicos do mundo. Com esse crescimento o Mirangaba vai gerar milhares de frentes de trabalho e gradativamente empregos diretos e indiretos.

Embora não se apresentem dados sobre a criação de aves, estas são de grande importância para a economia familiar nas pequenas propriedades, inclusive na área urbana, tanto para o auto consumo quanto para a comercialização no varejo.

Apesar de não aparecerem nos dados oficiais, a mineração e o garimpo são atividades importantes. Estão localizadas jazidas de esmeraldas. Sendo também importante a extração de quartzo verde, quartzo rosa, bem como granito e cristais. Sendo o produto extraído das jazidas exportado, nenhuma atividade de transformação desses minerais é realizada no município. As empresas Exotic, Granasa e R. Amorim exploram o quartzo verde.

O comércio varejista é composto de supermercados, bares, farmácia, loja de material de construção, confecções, variedades, açougues etc.

Clima

Há muito menos pluviosidade no inverno que no verão. A classificação do clima é Aw de acordo com a Köppen e Geiger. Mirangaba tem uma temperatura média de 21.4 °C. A pluviosidade média anual é 789 mm.
Fevereiro é o mês mais quente do ano com uma temperatura média de 23.1 °C. 18.8 °C é a temperatura média de Julho. Durante o ano é a temperatura mais baixa.
Com o clima tropical, mesotérmico, quase megatérmico e subúmido do tipo seco. Sob o efeito da altitude do lugar a temperatura média anual é em torno de 22ºC, com amplitude térmica anual de cerca de 5ºC. Significando que em qualquer mês predominam temperaturas de moderadas a elevadas. O verão é quente, com temperatura média em torno de 23ºC. O inverno é ameno, uma vez que a temperatura média neste período gira em torno de 19ºC. A precipitação pluviométrica média anual é baixa geralmente entre 750 e 1000 mm, sendo mal distribuídas ao longo do ano e bastante irregular. Caracteriza-se por uma estação chuvosa de novembro a abril, concentrando cerca de 70% do total anual, e outra seca de duração variável, cujas chuvas, além de raras, são de pouca intensidade. Tendo sua umidade relativa do ar em torno de 75% média anual.
A vegetação de Mirangaba é predominantemente caatinga; vegetação decídua, subxerofila,característica de todo nordeste semi-árido é a formação dominante do Município. Variações locais de altitude, solos e exposição aos ventos dominantes são responsáveis pelo aparecimento de formas diversas, desde a caatinga mais rala e hiperxerofila, a caatinga densa hiporxerofila. As atividades agropecuárias e extrativas são responsáveis por sensíveis modificações na vegetação original.

História

A história do município tem inicio entre os anos de 1889 a 1900, ao chegarem à região, denominada Fazenda Campo Grande - área de matas -, os primeiros povoadores, procedentes das localidades de Lagoa do Meio e de Casa Nova (município de Jacobina), atraídos pela fertilidade das terras propícias à agricultura e pecuária. Os primeiros desbravadores foram: Manoel Ferreira da Cruz (vulgo Manoel de Bezinha), Francisco Ferreira da Cruz (vulgo Chico Zoião) e João Fumaça. Instalaram-se na região para criar gado bovino. Foram eles que deram início ao surgimento do povoado no ano de 1902, com a construção das primeiras casas. Nos anos de 1902 a 1905 foi erguida uma Capelinha. A localidade passou a ser denominado “povoado de Alferes”.

Nos anos de 1904 a 1905, chegaram para fixar residência no então Povoado de Alferes os senhores José Joaquim de Carvalho, Joaquim Valois Coutinho, Antônio Pereira e Bernardo Teixeira, procedentes dos municípios de Jacobina e Saúde. Nos anos de 1906 a 1907, conseguiu, através do Intendente do município de Saúde, Sr. Agérico Moraes, a construção de um “Barracão”. A partir desta época, o povoado de Alferes, já em franco desenvolvimento, passou a denominar-se Riachuelo. Para alguns dos velhos moradores, a nova denominação foi inspirada na Batalha Naval de Riachuelo, devido às constantes brigas existentes no local, motivados pela posse de terras e posições políticas. Sabe-se, por exemplo, que todos os grandes fazendeiros possuíam “jagunços” para resolverem os seus problemas “na base da bala e do punhal”. O nome Riachuelo pode também ter sido inspirado na existência de um riacho que cortava o centro do povoado.

As hostilidades por decisões de mando eram notórias, principalmente entre as famílias de Bernardo Teixeira contra as de Joaquim Valois Coutinho e Antonio Pereira de Miranda. Segundo se afirma Bernardo Teixeira mandava seus jagunços atirarem nas portas das residências a fim de amedrontar os seus moradores. A partir daí, começou a decadência do povoado, pois as famílias emigravam. A localidade só retornou o seu desenvolvimento, após a eleição do Sr. José Joaquim de Carvalho para Intendente do município de Saúde.

O povoado de Riachuelo foi elevado à categoria de Vila, em 05 de agosto de 1923, tomando como base a data de criação do Cartório do Registro Civil de Pessoas Naturais. O distrito foi desmembrado de Saúde pelo Decreto-lei nº. 141, de 31 de dezembro de 1943, mudando a denominação para Mirangaba. Através da Lei nº. 1959 de 24 de novembro de 1961, criou-se o Município de Mirangaba, constituído dos Distritos de Taquarendi, Nuguaçu e Paulo Souto (Canabrava). Sua instalação se deu em 01 de fevereiro de 1963.

A população do município ainda é predominantemente rural, apesar do acelerado crescimento urbano, portanto predominando a agropecuária como eixo da economia. Predomina entre os produtores a atividade mista: agricultura e pecuária de reduzido número de animais, devido ao tipo de estrutura fundiária.

A produção agrícola tem como principais produtos a banana, mandioca, sisal, tomate, cenoura, feijão, melancia, cebola, manga, alho, pimenta e outros.

Na pecuária existe predomínio da criação de bovino. A caprino-ovinocultura é uma atividade em expansão, principalmente, entre pequenos e médios proprietários. Os suínos são por sua vez, criações de quintal. O rebanho eqüino e muar ainda é significativo, mas sua tendência é a diminuição e se constitui em animais de trabalho.

Surge agora um grande potencial econômico no município, onde empresas do setor de energia eólica estão implantando uns dos maiores parques eólicos do mundo. Com esse crescimento o Mirangaba vai gerar milhares de frentes de trabalho e gradativamente empregos diretos e indiretos.

Embora não se apresentem dados sobre a criação de aves, estas são de grande importância para a economia familiar nas pequenas propriedades, inclusive na área urbana, tanto para o auto consumo quanto para a comercialização no varejo.

Apesar de não aparecerem nos dados oficiais, a mineração e o garimpo são atividades importantes. Estão localizadas jazidas de esmeraldas. Sendo também importante a extração de quartzo verde, quartzo rosa, bem como granito e cristais. Sendo o produto extraído das jazidas exportado, nenhuma atividade de transformação desses minerais é realizada no município. As empresas Exotic, Granasa e R. Amorim exploram o quartzo verde.

O comércio varejista é composto de supermercados, bares, farmácia, loja de material de construção, confecções, variedades, açougues etc.

Turismo

Área territorial 1.751,781 km² [2017]
População estimada 18.195 pessoas [2018]
Densidade demográfica 9,59 hab/km² [2010]
Escolarização 6 a 14 anos98,4 % [2010]
PIB-per capita 6.094,36 R$ [2016]
federativa Bahia
Mesorregião Centro Norte Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Jacobina IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Jacobina,Campo Formoso,Umburanas, Ourolândia, Saúde e Pindobaçú.
Distância até a capital 350 km

Características geográficas:
Área 1 697,947 km² [2]
População 18 588 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 10,95 hab./km²
Fuso horário UTC-3

IDHM- Índice de desenvolvimento humano municipal 0,542 [2010]
O município é provido de um turismo de aventura e belezas naturais, são eles: a cachoeira do gelo , a cachoeira da serra, o balneário rio branco , a gruta de Santo Antonio, trilhas ecológicas e os belíssimos rios.
Além do turismo de negócios no setor agropecuário, concentrado no Distrito de Taquarendi, com criação de animais, plantações de banana, alho, cebola e outros.